sexta-feira, 26 de junho de 2009

About Michael Joseph Jackson

Sinto-me obrigado a homenagear Michael Joseph Jackson. Não ligo pra discografia dele, particularmente - gostava de Billy Jean, Thriller, e algumas coisinhas que ele produziu nas épocas em que meu pai tinha um corpinho sarado e um cabelo loiro como o meu. Ligo pro gênio incompreendido que ele era.

Michael Jackson era rico, riquíssimo. Mas era um cara muito triste. Não tinha muitos amigos verdadeiros, não tinha com quem contar, não tinha quem o entendesse de verdade. Precisou morrer pra que respeitassem-no por suas obras, pra que reconhecessem o gênio que era - pra que gente comum, como eu e tu, o enxergassem de profundis.

Todos nós temos um pouco de Michael Joseph Jackson, amigos.

Descanse em paz, Michael, para que possamos um dia repousar tranquilamente no nosso sono eterno e sermos lembrados como serás.

Vou postar aqui a letra de uma música cantada por ele, muito bonitinha, que minha mãe me pediu para baixar, hoje. Espero que baixem, também, e se emocionem - a letra por si só é muito emocionante.

Abraços e fiquem em paz. :o(

-----

BEN
(de composição do próprio Michael Jackson)

Ben, the two of us need look no more
We both found what we were looking for
With a friend to call my own
I'll never be alone
And you, my friend will see
You've got a friend in me


Ben, you're always running here and there
You feel you're not wanted anywhere
If you ever look behind
And don't like what you find
There's something you should know
You've got a place to go

I used to say "I" and "me"
Now it's "us", now it's "we"

Ben, most people would turn you away
I don't listen to a word they say
They don't see you as I do
I wish they would try to
I'm sure they'd think again
If they had a friend like Ben

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Coisas que a gente precisa pra ser feliz

Vamos falar de utopia, porque sempre vai faltar algum destes pontos - se tendes em tua vida todos estes, estais mentindo ou és o próximo masiach (se não souber o que é masiach, procure a Wikipédia, irmão!). Sabeis o que é preciso pra ser feliz? Aí vai a receita:

1. Seja rico.
Isso mesmo, amiguinho, seja rico. Se não nasceste com o c* virado pra lua, f*da-se, dê um jeito na tua vida miserável e fique rico - vale casar com alguém da família Seixas (Piauí), Coelho ou Patriota (Pernambuco), Maron ou Magalhães (Bahia), Safra, Morais (de Antônio Ermírio de Morais, cabeção)... Vale tudo! Vale ganhar na Mega Sena, montar uma rede de barraquinhas de baiana de acarajé... Eu juro que só não vos dou a minha receita porque não quero cópias, e se todo mundo ficar rico, vai rolar uma mega inflação e o meu futuro rico dinheirinho não valerá de nada. E com dinheiro, isso te leva ao ponto...

2. Se vista muito bem.
Isso aí, campeão! (Lembro que tinha alguém que me chamava de campeão, enfim, fellas...). Já é rico? Agora se vista muito bem. Se tu gostas de se vestir tão bem quanto eu, te recomendo diversos jaquetões, calças, ternos príncipe-de-Gales, camisas pólo da Lacoste, e vez em quando, algo que te faça se sentir bem. As roupas não vão trazer a tua felicidade, mas vão fazer um rebanho de otários te admirarem de uma forma que tu nunca foste admirado - mesmo sem terdes um pingo de caráter ou mérito. (Aviso logo, eu tenho caráter, mérito e um currículo lattes filho de uma puta!). E já sabe, quanto mais sociabilidade, mais chances de encontrar um amor, o que te leva ao ponto...

3. Tenha um amor.
É, campeão! Agora você precisa de um amor de interior, sabe? Tipo assim, aquele menino ou menina do interior, que te ame e te siga pra qualquer lugar. Tem de saber f*der como ninguém, também, porque sem sexo, tu não vais a lugar algum. Precisa ser lindo ou linda, e enfim, ter um caráter filhadaputamente excepcional. Preciso avisar, de antemão, pra tomar cuidado com os tipinhos falso-católico (aqueles que colocam mensagens no Orkut do tipo: "segurança é Cristo!"), falso-budista ("oh padme hum!"), ou simplesmente falso-filósofo (dá preguiça de citar as frases). Estes não tem caráter, apenas o fingem, e depois te metem a faca nas costas quando tu mais precisas. :o)

E quando o tiver, não ache que pode fazer tudo. Viva cada dia como se fosse o último da relação, e dê todo o amor e carinho (seja esperto, finja que não o sufoca, pô! Senão, ele vai correr de ti!), e aproveite ao máximo o que ele pode dar. Se ele for um otário e te abandonar, risque-o de sua lista, simples.

4. Viaje quatro vezes no ano.
Isso aí! Vá pra o interior do seu Estado, se for o caso, ou pra rocinha perto da tua casa. Vale Bariloche, Madrid, Aspen (não sabe onde é Aspen, amigão? pt.wikipedia.org!), Barcelona, Paris, vale tudo! Garanta o privilégio de viajar quatro vezes por ano e se divirta, esqueça dos problemas do mundo e conheça novos lugares sempre que possível, ou visite aquele lugar que tu amas.

5. Aprenda a fazer coisas inusitadas.
Tens de ter algum diferencial pra ser feliz. Fume uma marca de cigarro diferente (eu fumo Lucky Strike, Sampoerna e Camel, por exemplo), aprenda a falar uma língua diferente, tenha alguma marca pessoal, inusitada, e tu serás feliz. Infeliz é todo aquele que cai numa rotina, que é igual a todos os outros - a beleza do mundo está na diversidade!

6. Tenha um amigo pra desabafar.
Putaquepariu, quem não tem com quem desabafar, não tem ninguém. Quando tu estás cansado, teve um dia filho de uma puta, ou simplesmente precisa contar algo engraçado, definitivamente, precisas de um amigo. Então, o ponto 6 pra ser feliz é "ter um amigo pra desabafar". Se não tem, se prepare que os dias de solidão vão te atacar, campeão! :o)

A saga continua, amigos. :o)

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Mostrando a cara, de longe:


Este sou eu. Talvez mais bonito do que me imaginam, talvez mais feio do que me imaginam, talvez exatamente como me imaginam - este sou eu. Perdoem os maus modos de fumar na frente de todos, mas este sou eu.
Não mostrarei a cara outra vez. :-)

domingo, 21 de junho de 2009

Faz um tempo que não apareço aqui...

Desapareci. Resolvi tirar umas férias. Comecei a resolver umas coisas mais importantes, como uma provável mudança de cidade, e neste ritmo ficarei. Quero me livrar de uns filhos da puta e me aproximar de outros.
Descobri que alguém não se importa comigo, não está nem aí. Antes, tentava me esquecer - agora, já me esqueceu. Por que não devo fazer o mesmo? Respondo de pronto: pelo mal que me fez e deve reparar, é simples. Vai ter volta, é só aguardar. Vai ter volta...
Não estou legal, hoje. Estou muito soturno, me sentindo muito só, completamente abandonado. Acredito piamente que ninguém nunca me amará de verdade nesta vida, e dia mais, dia menos, deixo uma obra vasta de presente pro futuro e vou embora desta, quando me cansar. Ninguém pra me dar um abraço de verdade, um carinho de verdade, um afago de verdade - até quando isso vai durar? Eu sei: até quando eu morrer.
Vamos esperar a minha morte. Quem sabe com ela, tudo mude? Esse alguém não lembre de mim uma vez na vida, e não pense: "puxa, ele era mais do que uma boa opção"; as pessoas não lembrem, e digam: "puxa, ele era um cara legal". Quem sabe tudo não mude? Quem sabe eu não volte à memória das pessoas, e especialmente daquela, uma última vez, que seja? Quem sabe uma última lágrima não escorra no canto dos olhos daquele alguém?
A certeza de que eu sou a mais especial das pessoas morrerá comigo; de que a mais valiosa das ternuras é a que mora no meu peito, também morrerá comigo; muita coisa morrerá comigo, mas meu coração terá finalmente paz e eu me livrarei daquela lembrança eternamente.
Um abraço, se quiserdes me abraçar.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

A Tibério, com carinho

Meu caro amigo sertanejo:
1. Se conselho fosse bom e escutado, eu vendia os meus por 500 reais e já teria um bom dinheiro para me mudar para a minha próxima cidade-alvo. Contudo, sinto-me compelido a dar-vos um ainda assim: dê um descanso para vosso fígado. Beba nos finais de semana, tão somente, e intercalando sempre um copo de bebida alcóolica com um d'água: vai fazer uma diferença imensa. E lembrai-vos sempre de esquecer a porra da ressaca moral que vos acompanha no dia seguinte. E aplique este conselho a outras coisas também.
2. Sinto-me compelido a dar-vos outro: empenhe-vos o máximo pelos outros, especialmente quando há uma compleição de fidelidade. Se há algo por fazer por alguém - que não seja aquele alguém especial, claro, porque este é passível de outras manobras que venho indicando nos meus outros posts, que não este especial dirigido a vós - faça. Tereis conquistado a fidelidade de alguém, e um fiel é tudo que alguém pode precisar pras horas mais necessárias: seja companhia, uma escuta, ou até vos livrar de uma cadeia - e que D'us o livre disso. Este conselho não é bem de minha obra, mas pautado em Niccolò di Bernardo dei Machiavelli (Maquiavel); eu apenas o interpreto e o aconselho bem.
3. Certa feita, vos falei em gozar a vida ao máximo, e bem que o deveis fazer - só que responsavelmente. Não vos esqueçais do dia seguinte, nem dos vossos compromissos assumidos com as coisas (trabalhos, amigos, família).
4. Entretanto, por mais que pareça contraditório, não vos preocupeis tanto também quanto tendes vos preocupado. Relaxeis e esperai as coisas (como as provas, por graça de exemplo) virem com naturalidade. Os professores não irão, via de regra - nem mesmo nossa querida e amada tia! - comer nosso fígado. A tendência, com tal relaxamento, é um preparo maior para os acontecimentos futuros, livre de preocupações e ansiedades, matando-a-pau os objetivos.
5. Mais tempo para a música é o que precisais. Escutai música. É meu conselho derradeiro por hoje.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Re: Fumaça verde, efeito legal

"Oi Capitão.
Domingo, quase meia noite. A Sagrada Família está vendo um show na televisão. Eu te escrevo. As [poucas] idéias de emprego são legais. Ainda falta, é verdade, aquela que te pegue com amor. Estou fazendo o possível. Minha cuca vai assim, assim... Crises meningocócicas às vezes, mas tenho conseguido levantar todos os dias. Se a sua boa vontade com a Internet lhe permite ir até o MSN, você já deve ter visto que estou trabalhando como louco. Pra cada idéia sua, duas minhas aqui. Pra cada fumacinha ‘lícita’, uma verde e elaborada. Pra cada pensamento seu, uma fuga escandalosa num imenso e colorido copo de bebida. Pra cada pensamento de morte no fim da noite, mais uma fuga a mais copos (com a quase certa ressaca moral do dia seguinte). Titia está bem. Passou o dia em casa. Vou vê-la amanhã. Estou com problemas de grana e sem soluções mágicas no horizonte. Estou só. Não tenho encontrado muitas pessoas pelas andanças, ou sequer pessoas muito inteligentes (ao menos boas ouvintes). Deve ser mesmo engraçado ler cartas daqui, aí. Assisti ‘os Três Mosqueteiros’. Fiquei alegre, filme lindo, bem-feito. Depois é toda a infância mentirosa da gente indo pra merda, o que é simplesmente maravilhoso. Sim, porque “um por todos e todos por um” só podia ser mesmo lema de bando, bandido, bêbado e louco. Agora já é muito tarde, vou ler Jazz Branco (seria sobre Jazz?). E a criatividade, como vai? Não vá se intoxicar com os cheiros do mato. Deixa isso pra mim. Prometo não ficar saudável demais, para poder te acompanhar (afinal, são anos no fumo, e eu ainda com alvéolos saudáveis...). Não morra, nem de saudade que não lhe ficará bem. Sim, sim, sim, escreva muito e rápido. O meu pior inimigo está ficando com sono, melhor eu me deitar.
Beijo (grande).
Tibério"
Meu bem estimado Tibério,
1. Bem verdade que o trabalho enaltece a alma do homem. Toda produção é válida, e nos enriquece - tanto no bolso, quanto em espírito. Continue trabalhando enquanto a vida vos permitir, sem nunca esquecer de dedicar um tempo ao ócio e aos amigos.
2. Minhas vontades se quintuplicam, minhas idéias se quadruplicam a cada hora, meu medo se triplica, minhas incertezas se duplicam. Preciso imigrar pro meu bem amado Sertão com urgência, com o fim de executar tarefas de vida que me engrandeçam e reparem muitas coisas. Ponhamos objetivamente as idéias minhas e tuas numa pauta, juntemos e vejamos tudo que há de viável, para ver no que dá.
3. O incenso da Índia é coisa rara nos meus pagos, vivente. Sorte a vossa que tem acesso livre a respirá-lo, para pôr a imaginação a trabalhar. O néctar de Baco, também, lhe auxilia um tanto na vossa criatividade, é verdade, meu caro amigo. Entretanto, não podemos esquecer que temos de passar sem eles todos, e que eles são apenas objetos momentâneos de diversão - coisas para vez ou outra.
4. Foda-se a ressaca moral. O que importa é o prazer momentâneo, e a certeza de, independente da esbórnia, ser uma boa pessoa, dotada de senso extraordinário de bondade - que tenho certeza que sois.
5. Me preocupo com Titia. Mande-a um beijo e diga-a que a guardo no meu coração, e que em breve, contará com um reforço no time da busca por um cônjuge.
6. Todos nós estamos fodidos de grana. Se tudo der certo, nas minhas projeções astrais (dignas de análise psiquiátrica), quando eu chegar ao Sertão, algo mudará em nossas condições financeiras, tende a certeza.
7. Tive uma idéia a mais, que depois contar-vos-ei: quando chegar, farei um trabalho extra com jornalismo informativo e político - independentemente do emprego que eu tiver. Minha criatividade anda a mil, quando não vai por desestímulo. Entretanto, não apelarei para nada vindo de Cabrobó e cercanias - não tem feito meu tipo.
8. Até que eu chegue ao Sertão (por esforço próprio), pararei de fumar. Depois, voltarei à prática e vos ensinarei como destruir os alvéolos em quarenta anos.
9. Permaneço vivo, a menos que meus objetivos não sejam cumpridos.
Grande beijo e te cuida,
Capitão Kohen